Serra e Mar

Notícias

Carnaval registra recordes positivos na Capital: turistas vão recomendá-lo no exterior

Diário do Rio - Fotos Henrique Matos e Leo Queiroz - 15/03/2019

O levantamento da Riotur feito em diferentes pontos da cidade constatou que 98,4% dos estrangeiros vão recomendar a Cidade Maravilhosa como destino turístico. Esse resultado supera os de outra pesquisa, feita em 2018, em que 95% dos turistas já haviam aprovado a cidade. Entre os entrevistados estavam foliões de vários países. Os mais significativos eram: Argentina (8,0%), Chile (5,6%); França (2,4%), Estados Unidos (1,6%), Portugal (1,6%), Nova Zelândia (1,6%), Alemanha (1,6%) e Uruguai (1,6%).

Entre os Brasileiros, os paulistas foram os que mais escolheram o Rio como destino para as folias de Momo. São Paulo (19,2%), Minas Gerais (8,0%), Ceará (4,8%), Rio de Janeiro (4,0%), Espírito Santo (4,0%), Bahia (4,0%), RS (3,2%), PE (2,4%). A pesquisa também mostrou alta satisfação em outros indicadores, como limpeza, segurança e informação.

O Terreirão do Samba recebeu mais de 27 mil pessoas, que aproveitaram as atrações musicais e gastronômicas, contra 23,5 mil em 2018. O crescimento é de 15%.

TRANSPORTES - O Taxi.Rio, plataforma de mobilidade, que pelo segundo ano seguido disponibilizou um ponto próximo ao Sambódromo, para facilitar o deslocamento dos foliões, registrou aumento de 10% no número de corridas, mesmo sem ainda comparar com os dados do próximo fim de semana, no Desfile das Campeãs. Em quatro noites de 2019, o serviço alcançou 2.771 corridas de táxi, mais do que as 2.523 em cinco noites (com as Campeãs) de 2018.

A Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos (SMASDH) intensificou esse serviço em 2019. O aumento nas ações foi de quase o triplo: 266%. No ano passado, foram identificadas com pulseirinha (contendo nome, telefone e dados do responsável) 1.300 crianças. Neste ano o número subiu para 3.463.

A Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos (SMASDH) atuou em oito pontos do Rio de Janeiro. Além da identificação de crianças, que bateu recorde, houve também distribuição de material informativo, com enfoque em prevenção.

LIXO - Neste ano, a Prefeitura do Rio aumentou em 33% a quantidade de veículos utilizados pela Comlurb no trabalho de coleta de lixo em blocos de rua e no Sambódromo. O número saltou de 300, em 2018, para 400 em 2019, em uma ação para manter a cidade limpa em meio à folia. Desde o pré-carnaval até a terça-feira, a Comlurb recolheu 707 toneladas de resíduos dos blocos, e outras 304 toneladas da Passarela do Samba.

Nos cinco dias de folia na Marquês de Sapucaí, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) realizou 2.179 atendimentos e 139 remoções de pacientes das unidades pré-hospitalares (que formam a operação especial de Carnaval) para hospitais e UPAs municipais. No Sambódromo, foram realizados 1.458 atendimentos médicos nos sete postos da Passarela do Samba – 71 deles foram pacientes transferidos para unidades hospitalares ou de pronto atendimento. O número é 22,3% menor que o total de atendimentos registrados em 2018, quando 1.875 pessoas buscaram assistência e 68 foram transferidas para hospitais da SMS. A redução se deve à temperatura mais amena, com menos gente passando mal.

SEGURANÇA - A Guarda Municipal efetuou 23 prisões em 17 ocorrências durante cinco dias de Carnaval no Rio. Foram casos de de furto, roubo, ameaça, dano, desobediência e tráfico de drogas registrados em sete delegacias entre a sexta-feira, dia 1, e a terça-feira de carnaval, dia 5. Houve ainda o monitoramento de 152 suspeitos de furto na orla da Zona Sul pelas câmeras da Prefeitura do Rio. Ao todo, 5.493 guardas municipais são empregados em blocos de carnaval do Rio. Outros 3.480 guardas atuaram nos desfiles da Marquês de Sapucaí e na apuração das escolas de samba.

 

 


« Voltar

 

 

Compartilhar

Mídias Sociais

facebook.com/destinoserraemar
@destinoserramar
Destinos Serra & Mar

Publicidade



Novidades




Sobre a revista | Publicidade | Distribuição | Nossos Parceiros | Fale conosco
© ÍRIS EDITORA - Proibida a transcrição das matérias, no todo ou em parte, sem prévia autorização.
FW2